Thomas Skidmore Recebe o Prêmio do Conjunto da Obra da Associação de Estudos Brasileiros


Thomas Skidmore, Professor Emeritus de História e dos Estudos Luso-Brasileiros na Universidade de Brown, tem sido nomeado o recipiente do Prêmio do Conjunto da Obra da Associação de Estudos Brasileiros.

Reflectindo a missão primária da BRASA, o prêmio reconhece Doutor Skidmore como um líder com um registro de realizações acadêmicas excepcional e contribuições significantes à promoção dos estudos brasileiros nos Estados Unidos. A BRASA deseja especialmente enfatizar as contribuições de carreira feitas pelo Doutor Skidmore.

A sua carreira estelar justifica a onra à sua escolaridade, ensinamento, publicações, mentoria, e desenvolvimento institucional, entre outras contribuições à profissão. Ele teve um papel importante no avanço do estudo do Brasil nos Estados Unidos ao longo de sua carreira de quarenta anos como professor de história brasileira e americana.

Doutor Skidmore nasceu em Troy, Ohio no dia 22 de julho de 1932 e se formou na Universidade de Denison em 1954. Recebeu seu Mestrado da Universidade de Oxford e completou seu doutorado em história na Universidade de Harvard em 1961. Ele ensinou como instrutor e depois como professor assistente na Harvard de 1960 a 1966. Em 1967 ele se mudou à Universidade de Wisconsin, Madison,tornando-se um professor oficial no ano seguinte. Doutor Skidmore se mudou à Universidade de Brown em 1988 onde ensinou no departamento de história (onde foi Carlos Manuel de Céspedes Professor de história moderna latino-americana) e foi o Diretor do Centro de Estudos Latino-Americanos até a sua aposentadoria em 2000. Ele serviu como Presidente da Associação de Estudos Latino-Americanos e do Conselho da Nova Inglaterra.

O primeiro monógrafo de Doutor Skidmore, Políticas no Brasil, 1930-1964: Um Experimento na Democracia (Universidade de Oxford, 1967), baseado em pesquisas de pós-doutorado na Universidade de Harvard, imediatamente tornou-se a política histórica definitiva em inglês daquele tempo turbulente. Ele seguiu o volume com uma história política do regime militar, As políticas de regime militar no Brasil, 1964-85 (Universidade de Imprensa da Oxford, 1988) que documentou o sistema politico sob a ditadura e o retorno ao regime democrático na década de 80. Juntos, estes dois volumes oferecem a visão mais completa da história moderna brasileira e tem se tornado clássicos na história do Brasil República. Também produziu um livro de texto importante, Brasil: Cinco Séculos de Mudança (Universidade de Imprensa da Oxford, 1999).

Uma outra contribuição significante de Dr. Skidmore aos estudos brasileiros tem sido a história intellectual, De preto a branco: raça e nacionalidade na perspectiva brasileira (Universidade de Imprensa da Oxford, 1974), que traça as mudanças nas noções de raça no Brasil, desde debates durante a escravidão aos movimentos eugênicos e nacionalistas do século XX. Como dois trabalhos na história política do vigésimo século do Brasil, este volume tem se tornado um ponto de referência para todos tratamentos subsequentes do material. Doutor Skidmore continuou a publicar sobre este tópico com um volume editado, A ideia de raça na América-Latina, 1970-1940 (Universidade de Imprensa de Texas, 1990).

O interesse de Doutor Skidmore em história moderna latino-americana o levou a co-editar com Simon Collier e Harold Blakemore a Enciclopédia da America Latina e o Caribe (Universidade de Imprensa da Cambridge, 1985, 1992), também publicado em espanhol. Ele escreveu, com Peter H. Smith, América-Latina moderna (Universidade de Imprensa da Oxford, 1984 e edições subsequentes). Escreveu, com E. Bradford Burns, Elites, massas, e modernização na América Latina, 1850-1930 (Universidade de Imprensa de Texas, 1979), e editou Televisão, política, e a transição à democracia na América Latina (Imprensa de Woodrow Wilson, 1993).

No Brasil, Thomas E. Skidmore personifica o “brasilianista”, como refletido na publicação em português de uma coleção de seus trabalhos, O Brasil visto de fora (Paz e Terra, 1994) e em inúmeras impressões de seus trabalhos traduzidos (Políticas no Brasil, por exemplo, tem sido impresso 20 vezes e vendeu 85,000 cópias). No mundo acadêmico brasileiro ele é reconhecido como um historiador estelar, e na mídia brasileira ele é o comentarista de assuntos brasileiros mais procurado. Seu nome é uma “palavra de casa” entre intellectuais brasileiros. Em pelo menos duas ocasiões durante a ditadura militar do Brasil Doutor Skidmore fez declarações públicas sobre a situação política que causaram confrontos com o governo.

Além do seu papel como um estudioso eminente, a contribuição de Doutor Skidmore à área dos estudos brasileiros é refletido nas notas de estudantes de graduação. Ele treinou estes estudantes ao longo dos anos na Harvard, em Wisconsin, e na Brown.

Em adição à miríade intellectual e pedagógica do Doutor Skidmore, ele tem sempre sido um colega admirável. Sua personalidade irônica mas carinhosa, sua generosidade, capacidade intellectual, e sua dedicação à profissão o marcam como um dos estudiosos mais respeitados da história brasileira e a cultura nos Estados Unidos e no Brasil.

Dez escolares proeminentes brasileiros nomearam o Doutor Skidmore. Sua seleção foi feita pelo Comitê LCA da BRASA, incluindo o Vice Presidente da BRASA, Kenneth P. Serbin, e membros do Comitê Executivo: Severino Albuquerque, Maxine L. Margolis, e William C. Smith, como ratificado pelo Comitê Executivo da BRASA.