Prêmio Roberto Reis de Melhor Livro


O Roberto Reis BRASA Book Award é um prêmio que reconhece os dois melhores livros dos Estudos Brasileiros que foram publicados em inglês. Estes livros promovem uma compreensão mais profunda do Brasil. O prêmio homenageia Roberto Reis, um dos fundadores de BRASA, que se dedicou ao desenvolvimento dos Estudos Brasileiros nos Estados Unidos. Os dois melhores livros receberão um premio de 200 dólares cada um. Será concedido Certificado a quem receber menção honrosa.

Orientações para Inscrição:
Para um livro ser considerado pelo prêmio o seu autor precisa ser um membro da BRASA e também deve estar atualizado com os seus pagamentos.
O livro precisa ter sido publicado em inglês entre janeiro de 2014 e dezembro de 2015.
O autor do livro deve enviar uma página de capa (baixe o formulário aqui) por e-mail ao secretariado da BRASA em brasa@brown.edu, e enviar uma cópia impressa da capa e uma cópia do livro diretamente a cada membro do comitê. 

Membros do Comitê John Burdick para o Prêmio Roberto Reis de Melhor Livro 2014-2015 – Presidente da Comissão, 209 Maxwell Hall, Departamento de Antropologia, Syracuse University, Syracuse, NY 13244
Paulina Alberto, 2705 Haven Hall, Departamento de História, Universidade de Michigan, Ann Arbor, Michigan 48109
Christopher Dunn, Departamento de Espanhol e Português, 304 Newcomb Hall, Tulane University, New Orleans, LA, 70118

Deliberação, prêmio, e anúncio de prêmios
O Secretariado irá mandar um e-mail simples para cada autor indicando que a inscrição foi recebida. O prazo de entrega de inscrições será 1 de dezembro de 2015. (Observação: livros publicados em dezembro de 2015 poderão ser enviados até 30 de dezembro de 2015.) O comitê tomará decisões em relação aos prêmios tanto como qualquer menção honrosa. O Secretariado enviará uma carta aos vencedores e anunciará os premiados através do site da BRASA e o seu digest até 15 de fevereiro de 2016. Anúncios dos vencedores também serão feitos no próximo Congresso Internacional da BRASA XIII em Brown University, Providence, RI, de 31 de março a 2 de abril de 2016.

BRASA Anuncia os Premiados do Prêmio Roberto Reis de Melhor Livro 2014


A BRASA anuncia os premiados da competição de 2014. A comitê de seleção, composta por Brodwyn Fischer, Pedro Meira Monteiro, e Wendy Hunter, teve uma escolha difícil devido ao número recorde de excelentes apresentações. Parabéns aos premiados, que serão reconhecidos durante a Cerimônia de Encerramento da BRASA XII.

Os Premiados:
Barbara Weinstein
The Color of Modernity: São Paulo and the Making of Race and Nation in Brazil. Durham: Duke University Press, 2015

Esse livro cintilante segue a história da ideia de que São Paulo constituiu uma região única, moderna, economicamente dinâmica e predominantemente branca que representou o Brasil em seu melhor momento. Através de pesquisas refinadas sobre episódios chave durante a história paulista do século vinte, Weinstein demonstra como os paulistas empregaram essa imagem durante diversos momentos para manter a posição prestigiosa do estado no país, frequentemente ao custo de outras regiões. Uma das observações potentes do livro é a sua consideração de país e região, tanto como a brancura e a democracia racial, não como forças opostas ou antagonistas mas como construções complementares imperfeitas. Dessa forma, Weinstein é inovadora na sua explicação da reprodução e persistência de desigualdades socioeconômicas e raciais—e as suas dimensões espaciais—em um Brasil “racialmente democrático” ao longo do século vinte. Esse é um livro que irá influenciar a escolaridade sobre a raça, a região, o país, e a desigualdade na América Latina e além, durante as próximas décadas.

Heather F. Roller
Amazonian Routes: Indigenous Mobility and Colonial Communities in Northern Brazil. Stanford: Stanford University Press, 2014

Esse livro é inovador. Muito bem escrito, maravilhosamente discreto, o livro da Heather Roller oferece uma nova e persuasiva interpretação das interações entre o império português e as populações indígenas da Amazônia durante a era colonial. Abandonando as perspectivas convencionais de Amazonianos nativos fugindo de poderes imperiais, cada vez mais aproximando-se ao fundo da floresta, Heather Roller faz um argumento atraente, baseado aqui em fontes inexploradas. Ela diz que as populações nativas da Amazônia usaram o estado imperial quase tanto quanto o estado imperial utilizaram a eles. O livro da Roller nos leva a repensar aquilo que pensavamos saber sobre as relações indígenas do estado, não somente no Brasil mas em muito da América Latina e do mundo—e não somente naquele momento, mas hoje também. A tour de force da escolaridade e da imaginação histórica.

Menção Honrosa:
Rebecca J. Atencio 
Memory’s Turn: Reckoning with Dictatorship in Brazil. Madison: University of Wisconsin Press, 2014

Com Memory’s Turn, Rebecca Atencio faz uma intervenção oportuna e incisiva durante os debates atuais relacionados com a cultura e a política de justiça transnacional no Brasil. Após décadas de “esquecimento institucionalizado” que efetivamente fechou os livros sobre os crimes militares da ditadura, o governo brasileiro estabeleceu uma Comissão da Verdade Nacional em 2011 para investigar os abusos aos direitos humanos perpetrados pelos agentes do regime. A pesquisa de Atencio demonstra como os produtos culturais, incluindo romances, testimonias, filmes e dramas da televisão, têm impactado a “virada à memória” do Brasil. Ela oferece um elegante e transferível modelo teórico para entender o relacionamento entre “cíclos de memória cultural” e os mecanismos industriais concebidos para resolver os crimes e as injustiças passadas.